Road Trip

Lá estava eu, embarcando para os Estados Unidos para o que seria um período de férias e diversão. Meu destino era Nova Orleans, cidade no sul dos Estados Unidos onde morei por três anos e pela qual me apaixonei. Cidade única, autêntica, com muita música e comida boa.

A pandemia do novo Coronavírus fez com que a cidade, e os Estados Unidos inteiro, entrasse em lockdown logo depois que eu cheguei. Comércio, restaurantes e atrações turísticas fechados. Fiquei praticamente dois meses de quarentena em Nova Orleans, apenas saindo para se exercitar ou fazer atividades ao lar livre, sempre mantendo o distanciamento social imposto pelas autoridades.

Dois meses mais tarde, surgiu a idéia de eu e meu parceiro de quarentena dirigirmos até a cidade de Park City, no estado de Utah. Como ja estávamos cansados de ficar no mesmo lugar e Park City parecia o destino perfeito para ficar em isolamento – pense em montanhas, trilhas, parques, lagos e muito mais – fizemos as malas, carregamos o carro, o cachorro e as bikes e saímos a caminho de Utah, uma viajem que era planejada para durar aproximadamente uma semana na estrada. 

Devido a alguns imprevistos por causa da pandemia, onde algumas das cidades que planejamos passar algumas noites estavam em total lockdown e alguns parques que gostaríamos de visitar também estavam fechados, encurtamos a viagem para 4 dias, apenas parando para passar a noite e seguindo viagem no dia seguinte. Mesmo assim, o que não faltou foram paisagens e cenários maravilhosos que fizeram valer a pena cada quilômetro percorrido. 

Ao todo passamos por 5 estados americanos diferentes – Louisiana, Texas, Novo México, Colorado e Utah. A seguir irei destacar os melhores momentos e lugares que visitamos durante a viagem.

Dallas (Texas) – Depois de aproximadamente 8 horas na estrada, a nossa primeira parada foi a cidade de Dallas, no Texas. Como ja estava começando a anoitecer quando chegamos no hotel, as poucas horas que passamos na cidade se resumiram em sair para jantar, passear com o cachorro, dormir e no dia seguinte partir para o próximo destino. Apesar da estadia curta, aproveitamos o jantar no The Capital Grille e depois passeamos ao redor do bairro com o cachorro. Dallas deu a impressão de ser uma cidade badalada, com bons restaurantes e bares, galera jovem nas ruas e uma arquitetura bem moderna. Com certeza uma cidade pra dar uma conferida quando a pandemia passar. 

Big Texan Steak Ranch (Amarillo, Texas) – Poucas horas após deixar Dallas, a nossa pausa para o almoço foi na cidade de Amarillo, ainda no estado do Texas, no famoso restaurante chamado Big Texan. O lugar chama a atenção de qualquer  um que passe por ali. Uma enorme estrutura amarela, com bandeiras do estado do Texas estiadas, um enorme touro de mentira de um lado e uma enorme bota de cowboy do outro. O restaurante também é conhecido por ser uma steakhouse com um preço mais acessível, mas ainda assim de qualidade. 

Dentro no local, parece um parque de diversões. Além do restaurante, tem brinquedos para divertir crianças e adultos, souvenirs, café e sorvete. Tudo isso em um espaço decorado com cabeças de animais pendurados até no teto. No restaurante, garçonetes com trajes de cowboys servem a especialidade da casa, steak. A comida é boa, o ambiente é grande e divertido. Com o coronavírus, o restaurante não estava funcionando em total capacidade e nem todas as atrações estavam abertas para o público; normalmente o local é super movimentado. Parece que você está em uma cena de filme de faroeste. Vale muito a pena conferir. 

Santa Fe – Seguindo nosso caminho, cruzamos a fronteira entre os estados do Texas e Novo México, em direção a cidade de Santa Fé, nossa próxima parada. A medida que subíamos – a cidade fica aproximadamente 2,200m acima do nível do mar – nossa curiosidade  só aumentava. O cenário muda. As casas feitas de adobe, material terroso usado praticamente em todas as construções e a paisagem desértica tomam conta do panorama.

No centro da cidade, uma infinidade de galerias de arte, museus, edifícios antigos, cafés e restaurantes sofisticados, parques e boutiques. Infelizmente, a cidade estava em total lockdown por causa do coronavírus. Restaurantes apenas servindo take-out e o resto da cidade estava de portas fechadas. Pedimos comida mexicana para o jantar e aproveitamos para caminhar pelas ruas da cidade. A cidade tem um estilo único, que não se encontra em nenhum outro lugar dos EUA ou do mundo. Um estilo jovem, sofisticado e artístico que se mistura com a cultura e tradição mantida por anos no local, cultura essa influenciada por nativos, povos indígenas, mexicanos e espanhóis. Vale muito a pena visitar.

Durango (Colorado) – Deixando Santa Fe para trás, cruzamos mais uma fronteira, do Novo México e Colorado. O deserto deu lugar para montanhas, florestas e lagos. As cores mudaram drasticamente. O que era marrom agora era verde. Fizemos uma breve parada para o almoço na cidade de Durango. Rodeada por montanhas, Durango é uma cidade fofa, com ar de cidadezinha pequena, lojas locais, muitas cervejarias e cafés. Paramos para comer em uma cervejaria local no centro da cidade. Comida boa e cerveja melhor ainda, o que nos fez imediatamente comprar amostras para viagem. Além disso, atendimento ótimo e os locais com que conversamos, todos transmitiram uma good vibe.

Moab (Utah) – Se aproximando cada vez mais do nosso destino final, finalmente chegamos no estado de Utah. Antes de seguir caminho até Park City, paramos na cidade de Moab, conhecida pelas formações rochosas e parques nacionais que rodeiam, como Arches National Park, e pela pratica de esportes radicais – mountain biking, escalada, canoagem são algumas das opções. A cidade estava aberta, restaurantes, lojas e galerias recebendo turistas e muitas pessoas nas ruas. Para a nossa infelicidade, o Arches National Park ainda estava fechado.  Passamos a noite em Moab, jantamos em um restaurante mexicano, andamos pela cidade, na manhã seguinte paramos em um café local e seguimos, finalmente, para nosso destino final, Park City.

Park City (Utah) – Se aproximando de Park City, o cenário muda novamente. As formações rochosas desaparecem e surgem as montanhas cobertas de árvores, algumas ainda com neve, cachoeiras, rios e lagos. Park City é uma cidade pequenina porém cheia de charme. Rodeada de montanhas, é destino popular durante o inverno para a prática de esportes. Durante o verão, a cidade também não decepciona. Esportes radicais e opções de atividades ao ar livre não faltam. Na principal rua da cidade, cafés, restaurantes, bares e boutiques oferecem diversão e lazer para todas as idades. Logo logo vai ter post sobre Park City, porque a cidade é compacta mas oferece muito pra quem visita. Me conquistou rapidinho e entrou pra lista das cidades favoritas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s